Final explicado de Godzilla Minus One

Godzilla Minus One Veja o final explicado do filme
Godzilla Minus One Veja o final explicado do filme

Atenção: Spoilers para Final explicado de Godzilla Minus One

Tóquio está em apuros mais uma vez quando o amado ícone de monstros retorna para seu mais novo passeio em Godzilla Minus One. As primeiras críticas já declararam o filme como um dos melhores da franquia, e por um bom motivo: ele devolve o lagarto titular às suas raízes da Segunda Guerra Mundial como um símbolo da ansiedade nuclear japonesa e permite que ele seja a força aterrorizante da natureza que seus fãs conhecem e amam.

Mas o que é mais surpreendente é o quão emocionalmente envolvido ele é; Ao contrário de muitos blockbusters deste ano, Godzilla Minus One faz com que o público se importe com os personagens e seu drama. Como resultado, o espetáculo climático é muito mais envolvente do que o espetáculo vazio de The Flash ou Homem-Formiga e a Vespa: Quantumania. Em última análise, esta é uma história sobre trauma e culpa, tanto a nível pessoal como nacional, e estes temas ocupam o centro do palco na meia hora final do filme.

O que acontece com Godzilla?

godzilla minus one final

À medida que o ato final de Godzilla Minus One acontece, todos estão no ponto mais baixo imaginável. No início do filme, o ex-piloto kamikaze Koichi Shikishima (Ryunosuke Kamiki) lida com intensa culpa de sobrevivente após abandonar uma missão e não conseguir impedir Godzilla de matar seus camaradas na Ilha Odo. Isso só piora depois que ele não consegue evitar novos ataques a Ginza e Tóquio. Além de tudo isso, sua parceira, Noriko (Minami Hamabe), foi aparentemente morta pela explosão atômica do monstro gigante durante a destruição de Tóquio.

Com os militares dos Estados Unidos recusando-se a fornecer ajuda devido às tensões com a União Soviética e o governo japonês se mostrando ineficazes, o ex-engenheiro de armas Kenji apresenta um plano para matar o monstro com a ajuda de civis e ex-soldados. Com Shikishima atraindo a criatura com um velho caça a jato, a estratégia envolve atraí-la para o oceano, onde dois navios de guerra a cercam com tanques Freon para que possam afundá-la no fundo do mar e deixar a pressão submarina resultante esmagá-la.

Godzilla se liberta de suas amarras durante o naufrágio, embora a pressão o tenha deixado gravemente ferido. Shikishima aparentemente se sacrifica voando com seu avião (armado com duas bombas) na boca de Godzilla, cumprindo seu trabalho inacabado como piloto kamikaze. Enquanto Godzilla desmorona no oceano, a tripulação vê que Shikishima foi ejetado com sucesso do jato no último segundo, tendo redescoberto sua vontade de viver.

Como o homem que antes se declarou covarde por abandonar seu dever e por não ter conseguido impedir a morte de seus companheiros, agora é aclamado como herói, ele recebe um telegrama e corre para um hospital. Ao chegar, ele descobre que Noriko sobreviveu à explosão atômica, mas aparentemente está lidando com a doença da radiação, e Shikishima começa a chorar. No entanto, mesmo com o retorno da sensação de normalidade, a cena final sugere que o pior ainda está por vir, com um pedaço da carne de Godzilla no fundo do oceano começando a se regenerar lentamente.

Godzilla pode retornar em uma sequência de Godzilla Minus One

sequencia de Godzilla minus one

A primeira e mais óbvia implicação é que é provável uma sequência com o retorno de Godzilla. Mais profundo do que isso, é preciso considerar os temas do filme. Crucialmente, o filme explora o trauma e a culpa, considerando parcialmente o Japão como um país após a Segunda Guerra Mundial. Como foi exaustivamente abordado, o personagem Godzilla foi originalmente concebido como uma alegoria para a ansiedade nuclear do Japão no pós-guerra. Minus One joga explicitamente nesse ângulo, com a criatura despertada e transformada pelos testes atômicos dos EUA no Atol de Bikini. E não é por acaso que as explosões geradas pela respiração atômica do monstro parecem idênticas a uma explosão nuclear.

Mas enquanto o original de 1954 explorava o trauma que o Japão enfrentou como país, Godzilla Minus One está mais interessado em como esse trauma afetou diretamente os indivíduos que lutaram na guerra. Shikishima, que abandonou suas funções como piloto kamikaze, é um buscador da morte, assombrado pelos pensamentos daqueles que ele não conseguiu salvar. Ele diz explicitamente a Noriko em uma cena inicial que ele deveria ter morrido anos antes. Mesmo quando o confronto climático começa, permanece ambíguo se ele prosseguirá com sua pretendida missão suicida ou se recuperará a vontade de viver.

Como resultado, Godzilla é menos a personificação do trauma nacional de um país do que um espectro dos incontáveis ​​que morreram em uma guerra que o Japão sabia ser impossível de vencer e a culpa que Shikishima sente por ter falhado em uma situação impossível. Conforme mostrado no ataque inicial, não havia nada que Shikishima pudesse ter feito para salvar seus colegas soldados (eles apenas provocaram Godzilla quando atiraram nele), e as pessoas ainda o culpam por não ter feito o suficiente. A cena final que sugere o retorno de Godzilla ilustra que, embora o trauma possa ser administrado brevemente, ele nunca desaparece completamente.

No entanto, a ideia de esperança é igualmente crucial a nível temático. Uma das cenas mais comoventes, logo antes do clímax, envolve um grupo de veteranos sendo solicitados a arriscar suas vidas para deter Godzilla. Um líder militar garante que eles não estão recebendo ordens de combate e desiste da tarefa se assim o desejarem. A maioria dos soldados opta por ficar, sabendo que proteger seu país de um monstro gigante é uma causa pela qual vale a pena morrer, se isso significar salvar aqueles que amam.