Notícias

Destinos a Deriva final explicado: Veja o que acontece no final do filme da Netflix

Em Destinos a Deriva mostra como a resiliência e a imaginação podem mantê-lo vivo quando perdido no meio do oceano, mas será que a refugiada espanhola Mía sobrevive no final?

Este thriller da Netflix dirigido por Albert Pintó imagina uma realidade distópica em que a Espanha foi tomada por uma ditadura totalitária, forçando muitas pessoas a fugir do país.

Como o regime visa especialmente as mulheres grávidas, Mía (Anna Castillo) e seu marido Nico (Tamar Novas) decidem pagar uma viagem clandestina à Irlanda por mar. No entanto, eles são separados em dois recipientes diferentes.

Logo depois, Mía se torna a última pessoa em pé em seu contêiner quando soldados do regime assassinam todos enquanto ela se esconde sem ser detectada acima de uma caixa. Ela chega ao seu destino a bordo de um navio de carga, mas o azar atinge novamente quando uma tempestade derruba seu contêiner no oceano.

Agora, ela está sozinha, com espaço e recursos limitados, à deriva na água e grávida. Vamos mergulhar no final de Destinos a Deriva (Nowhere) para revelar se Mía sobrevive contra todas as probabilidades.

Destinos a Deriva final explicado

Ao longo da viagem, Mía resolve todos os tipos de situações para sobreviver.

Isso inclui dar à luz debaixo d’água durante uma tempestade, comer sua própria placenta por fome, costurar-se com fios depois de ter um corte profundo na perna e fazer uma rede de pesca com fones de ouvido multicoloridos.

A essa altura, Mía tem que sobreviver, nem que seja porque ela merece. Ela consegue abrir um buraco no teto, permitindo que ela explore seus arredores, pesque e envie várias mensagens de SOS trancadas em recipientes de comida.

Em determinado momento, o marido liga para ela – como aquele celular ainda tem bateria, não sabemos – para se despedir, já que foi baleado ao tentar encontrá-la e não tem muito tempo.

Isso é um soco no estômago para ela, mas ela precisa continuar lutando por sua recém-nascida Noa, mesmo que agora ela saiba que ninguém está vindo para eles.

O ponto mais crítico de Destinos a Deriva chega quando o contêiner afunda.

Colocado em um berço engenhosamente construído que flutua graças a recipientes de comida anexados, Noa desapareceu da vista de Mia na noite escura e enevoada no meio do oceano.

Por sorte, uma baleia que passa por ali joga água no rosto de Noa e a faz chorar, sinalizando sua posição para a mãe.

No entanto, sua situação ainda é bastante precária, já que Mía está na água segurando o berço, assim como Jack segurou a mesa de Rose em Titanic – e sabemos como isso aconteceu.

Enquanto flutuava sem terra à vista, Mía finalmente deixa de lado todos os arrependimentos que a sobrecarregavam.

Sua dor vem da perda de sua outra filha, Uma.

Quando o regime espanhol assumiu, eles foram trancados em casa, com apenas Nico podendo sair de casa para encontrar comida. Um dia, Uma insistiu em sair, e sua mãe finalmente concordou, nem que fosse por cinco minutos.

Não demorou mais do que isso para que alguns soldados a levassem embora. Mía se sente responsável pelo que aconteceu, e ela carregou essa culpa a bordo do contêiner. Quando afundou, parte dessa dor diminuiu.

Quase no final do pesadelo, ela encontra perdão para si mesma. “Fiz tudo o que pude”, diz a si mesma, repetidamente.

Por um momento, isso parece o fim para Mía.

Um barco irlandês encontra a bebê Noa boiando em seu berço. Ao se aproximarem dela, notam uma corda feita de fios presos ao berço que afunda no oceano. Eles puxam, tirando Mía da água.

Depois de uma longa e intensa sessão de RCP, Mía acorda. Ela está viva; ambos são.

Destinos a Deriva termina com mãe e filha se abraçando enquanto os marinheiros irlandeses que as encontraram as levam em segurança para a costa.

Destinos a Deriva está disponível para assistir agora na Netflix.

Agamortis

Profissional de TI, amante de filmes de terror de gostos e qualidades duvidosas, séries, super-heróis e memes, muitos memes. Este site é para reunir tudo no mesmo local.
Botão Voltar ao topo